sábado, fevereiro 11, 2006

Pensamentos VI

Aí estão mais 3:

16 – Crueldade e sensibilidade só podem coexistir num invólucro: o ser humano.

17 – Já estamos mortos no dia do nosso nascimento. Porquê a felicidade?

18 – Nunca negues a tua verdadeira natureza. No final, ela acaba sempre por se revelar. O Tempo é a mão que remove as máscaras.

14 Comments:

Anonymous HellSpawn said...

xii...vou ser p primeiro outra vez :P

bem:

16 - Er...talvez. Se a matéria no universo for, de facto, infinito e a matéria contida nele também o for, esta frase deixa de ser verdade. De resto, sim. So what? :P


17 - OB!!! Estás a ficar uma pita gótica deprimida!!!! Rapaz, nãaaaaaaoooooo!!!!!! (na brinca) Epa, simples, porque podes aproveitar pa te divertir à grande :P

18 - Outro? Epa, é uma filosofia com a qual embirro radicalmente. Mudar é SEMPRE possível, desde que haja predisposição para tal. Mas enfim, isto já entra no campo da crença e não quero andar às turras contigo tipo Isair XD :P

6:09 PM  
Blogger Enlightened by darkness said...

Tens direito à tua opinião, mas está obviamente errada.
Às vezes devias evitar ser tão teimoso e tentar ver o mundo pelos olhos dos outros...

7:08 PM  
Anonymous lacrima lusitana said...

bm... hj sinto-m incapacitada pa comentar as tuas frases! lol!
bm... é o k eu digo... o mundo é 1 sitio xkisito e ñ há km o entenda! :P
***

2:03 AM  
Anonymous Misty Goth said...

penso k crueldade e sensibilidade em extremos sao fatais ah vida dos seres vivos, mas nem todos tem o poder de os dominar.
felicidade? depende da felicidade, cada um pode ter a felicidade k escolher, a k buscar ou a k lhe imposeram ou ainda a unica k ele veja como saida.. a que chamas de felicidade ? no meio de desgrassa ????
kuanto ah essencia, nao vejo nada mais belo do ke procurala dentro de mim e coNhece a de kem amo.
as mascaras.. protegem mts homens da realidade cruel e fria, mas por detraz drestoi-os com a sua propria falsidade entre uns e outros
...

cya

6:12 PM  
Blogger blueiela said...

Cá vou eu comentar os teus pensamentos...

Não podia concordar mais com o primeiro,por tudo o que a vidinha já me ensinou. O ser humano tem a capacidade de guardar em si o melhor e o pior...depois é só escolher o momento para o deixar agir.
Não comento o segundo, porque eu ainda não percebi o que raio estou aqui a fazer neste mundo?;)Quando descobrir digo-te alguma coisinha...

A terceira é a minha lei...nunca negues o teu verdadeiro eu porque todas as máscaras que usas para enfeitiçar ou iludir acabam por cair e quando mostras o teu verdadeiro rosto pode já ser tarde demais para te dares a conhecer.
Por isso,temos que ser aquilo que somos...cheios de virtudes mas inundados de defeitos.Ninguém é perfeito e quem aceita a imperfeição dos outros aprende a viver com a sua.

beijos

blue

6:19 PM  
Anonymous Antharya said...

A crueldade e sencibilidade são opostos.. e tds os opostos são essenciais para se fazer um equilibrio, o problema é k o ser humano n deve saber k tem a capacidade dos controlar...

Essa frase fez.m lembrar uma outra k vi algures... "Cd vez mais pessoas nascem para terem um destino infeliz" ou algo parecido...
Mas eu sinceramente penso k por o mundo estar cd vez pior n precisamos de fazer a nossa vida uma inflicidade, s kisermos podemos divertir à grande.. n é por tar no "inferno" k vamos ter uma vida infernal.

É cm as mentiras :P
N podia concordar mais com esta frase, mas enfim, ng s pode esconder para sempre por de traz de uma mascara...

6:53 PM  
Blogger Lipinha said...

16- defenitivamente não concordo, o meu cão consegue ser as duas coisas... aquele bicho às vezes ultrapassa-me...
17- esta acho que não se aplica a toda a gente... se eu disse-se isto num grupo de pessoas a maioria chamaria me doida, meia dúzia interrogava-se e pá'í só eu concordava.. lol...
18 - Não sei se removerá, às vezes a máscara entrenha-se de tal maneira na pessoa, que deixa de haver uma linha defenida a separá-las, porque o ser humano tem a capacidade de mudar, ele não cria apenas máscaras, ele tem a capacidade de se tornar numa delas...
jitos
lipa

2:41 PM  
Blogger Lord of Erewhon said...

A felicidade... é aquela cena que move... as gajas na nossa direcção! JAJAJAJA!!!

Tens metralhadoras prá troca?:)=

12:17 AM  
Blogger Darkezza said...

Bem prefiro comentar apenas o segundo, sempre disse e voltarei a dizer: "Não temo a morte, Prefiro esse facto inelutável ao outro que me foi imposto no dia do meu nascimento. Que é a vida? Um bem que me confiaram sem me consultar e que restituirei com indiferença!!!" Sim, o que era de valor era consultar-nos antes de nascermos, o que é patéticamente impossível...
Gosto bastante do teu blog continua assim.

Dark Kisses

10:36 PM  
Blogger Illiar said...

17 - pah... ja tive pensamentos assim... para quê a felicidade?

so que depois descobri... nao estamos mortos á nascença... estamos vivos... vivos... prontos para morrer... mas vivos... e é essa vida que temos de agarrar... vencer... ser feliz.

18 - a nao ser que a máscara esteja tão colada, e colada há tanto tempoo, que já nao seja possivel remover... por vezes acontece...

fika bem... e desculpa la a minha falta de comentários aqui... LOL

***

8:41 PM  
Blogger silent_dark said...

Comentando o número 18...

Eu construo a minha filosofia em torno de três pólos que considero vitais e fundamento de tudo: liberdade, responsabilidade, vontade. Os três conceitos são um pouco como o Deus cristão: três pessoas numa - no fundo, são inseparáveis. A minha liberdade consiste em poder assumir a responsabilidade (isto é, assumi-lo como meu) de um acto, que eu escolhi dentro de mil outros putativos actos, por minha vontade (sei que podes rebater tudo isto argumentando que estamos determinados: mas, como bem sabes, eu recuso essa ideia - noutro sítio poderia ser discutida).
Se fiz esta introdução foi para que ficasse explícito a importância que dou à Vontade. Ora a vontade é o que me permite mudar a minha natureza porque almejo ser algo mais, algo que eu idealizei. Cingir-me ao que sou por natureza é, parece-me, de uma preguiça enorme. A mesma capacidade que temos para idealizar um mundo melhor permite-nos idealizar um "nós" melhor. Algures nas nossas vidas já desejámos não ser o que somos e sermos diferentes. Se, por um lado, há que ter consciência plena do que somos, por outro, isso em nada impede que lutemos para sermos como gostaríamos de ser. Para isso, há que ter vontade.
Um exemplo prático e banal: se acontece que eu sou extremamente cusco - o que, obviamente, comporta uma série de situações negativas na sociabilidade - eu posso resignar-me a isso, sob a capa de que é a minha verdadeira natureza ou posso tentar corrigi-lo, se me parece mau. É isso ser hipócrita? Não - e passo a explicar porquê.
Simplesmente, porque não existe "verdadeira natureza". Parece-me a mim - posso estar enganado - que este não passa de um conceito inventado. Uma natureza verdadeira pressupunha que estamos determinados no nosso carácter "a priori". Ora, aqui, eu sou muito existencialista: a existência precede a essência, ou seja, aquilo que somos forma-se posteriormente. E forma-se constantemente. O rio é hipócrita a si mesmo por, onde antes tinha umas águas, ter, agora, no mesmo local, águas novas que lhe vieram da nascente? Qual a verdadeira natureza do rio? A nossa única verdadeira natureza é a mudança.
Eu não tenho uma verdadeira natureza. Isso é tanto mais visível quando pensas, por exemplo, em Pessoa e na sua heterónimia e o que isso simboliza. Simboliza precisamente aquilo a que te referes em 16.: isto é, a presença, simultânea, no ser humano, de duas ideias distintas. E qual é a verdadeira natureza daquele que em si, ambas, juntas, ao mesmo tempo, as tem?

9:49 PM  
Blogger Alexandre said...

16 - Sim, concordo.

17 - Discordo. Então para isso, a existencia resumir-se-ia pura e simplesmente à espera pela morte, pelo que nem sequer valeria a pena aprender a andar, falar, o que quer que seja. O que é a vida sem a busca pela felicidade? Animalidade? Sobrevivencia?

18 - Um ser já formado é imutável, concordo. Faças o que fizeres, as "raizes" (atenção à interpretação deste termo aqui neste caso) estão sempre presentes. Explicam os psicólogos através de ID's, egos, super-egos o que no fundo se trata unica e exclusivamente de uma questão de "essência".

Os próximos? ;)

7:35 PM  
Anonymous White Wolf said...

Bem vamos lá então :P... :

16 - Não concordo na minha opinião. O que diria-mos por exemplo de um lobo capaz de matar selvagistamente e ao mesmo tempo de ser sensivel ás suas crias?

17 - Porque vale apena lutar e viver pelos bons momentos que a vida é feita :P

18 - Talvez sim...tem lógica mas não confirmo. Acho que não tenho experiênçia da vida para concordar ou discordar com a afirmação :P

7:52 PM  
Blogger Ludovico M. ALves said...

Mudar tem limites.

7:53 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home